Pesquisa da COMPUTERWORLD revela que um grande número de empresas promoveu mudanças no departamento de tecnologia da informação nos últimos 12 meses.

Para um monte de empresas, as frequentes reorganizações da TI são um fato da vida. Renovações de hardware, aplicações, processos e pessoal se tornaram uma marca registrada da função tecnologia em algumas organizações.

O movimento vai continuar em 2012, como organizações buscando obter o máximo benefício de seus investimentos em tecnologia em um mundo de negócios em constante mudança. Uma consideração importante para qualquer reorganização, no entanto, é se é uma reação automática a um desenvolvimento temporários no mercado ou uma estratégia bem pensada para realmente ajudar a empresa a cumprir suas metas – com o mínimo de perturbação para as operações.

A pesquisa Forecast 2012, da COMPUTERWORLD, mostra um alto nível de reorganização das áreas de TI. Dos 353 executivos pesquisados ​​39% disseram que seus departamentos de TI sofreram reorganizações nos últimos 12 meses ou planejaram uma.

A característica mais comum das reorganizações realizadas pelos entrevistados foi um esforço para aumentar a flexibilidade de TI para atender às necessidades empresariais em constante mudança: 47% dos entrevistados disseram que suas reestruturações incluíram tais iniciativas. Outros 35% disseram que ter promovido um downsizing no departamento de TI ou demissões; 35% centralizaram as operações de TI como parte desse processo; 25% citaram o desejo de criar equipes de especialistas no assunto; 21% disseram que estavam criando uma projeto de gestão de escritório, 21% mencionaram reforçar o papel dos arquitetos na empresa, e 18% citaram outsourcing.

No passado, reorganizações de TI eram focadas em otimizar as entregas do departamento, diz Bart Perkins, sócio-diretor da Partners Leverage, empresa de consultoria com sede em Washington. Segundo Perkins, as mudanças hoje abordam questões como o grau de independência que as unidades de negócios podem ter das equipes de TI, que aplicações as equipes de TI devem ser autorizadas a desenvolver, se devem haver organizações separadas para o desenvolvimento e manutenção, e se deve haver uma equipe única para cuidar da infraestruta.

“Hoje, os processos de reorganização se concentram mais na integração entre TI e negócio”, diz Perkins, que também é colunista da Computerworld/EUA. “Há necessidade de reorganizar a área quando o pessoal de TI passa a ser responsável por atividades que não são tradicionalmente as funções da área de TI.”

Fonte: CIO

 

No responses yet

Deixe uma resposta