Embora as empresas não questionem os benefícios que as ferramentas colaborativas da web 2.0, como as redes sociais, blogs, mensagens instantâneas, vídeos etc., podem trazer para os negócios, a grande maioria delas diz que já foi vítima de ataques e problemas decorrentes de brechas segurança no uso desses recursos. Estudo encomendado ao instituto Cerias, da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos, pela fabricante de software de segurança McAfee, confirma o receio dessas empresas em relação à web 2.0.

O levantamento revela que no ano passado as companhias gastaram US$ 1,1 bilhão em todo o mundo, em decorrência de falhas na segurança, sendo que, individualmente, cada uma teve de desembolsar cerca de US$ 2 milhões. Por isso, metade das companhias ouvidas na pesquisa apontou a segurança como maior empecilho para a adoção da web 2.0 em suas operações. Uma prova isso é que, apesar de 75% das empresas terem declarado que a web 2.0 criou novas fontes de receita, 60% disseram temer pela segurança de seus negócios com uso de redes sociais, por exemplo.

Apesar das perdas relatadas pela empresas, a média mundial de adoção de recursos da web 2.0 é alta, em torno dos 75%, sendo que no Brasil, Espanha e Índia o índice ultrapassa os 90%.

Para o estudo, a Cerias ouviu mil pessoas de 17 países, inclusive do Brasil.

Notícia original: TI Inside

No responses yet

Deixe uma resposta