Chris Anderson e Michael Wolff sentenciaram na última capa da Wired: a web já morreu, só falta fechar a tampa do caixão. Calma: a internet continua vivinha, só a web bateu as botas, segundo eles. Tudo bem que, para soltar essa polêmica afirmação, a dupla se baseou numa realidade americana em que todos têm iPads e iPhones. Mas, antes de xingá-los, veja sete explicações que a matéria nos dá.

1 – Você pode acordar e dormir sem os navegadores
Hoje é possível passar o dia todo usando a internet sem acessar um site sequer pelo browser. Ler o jornal, acessar e-mails e mandar mensagens instantâneas são tarefas mais fáceis por meio de aplicativos específicos. Com o domínio dos iPhones e iPads, em detrimento do velho desktop, o uso dos sites está mais escasso – e a web se encaminha para ser a exceção, em vez da regra.

2 – Só tenho tempo para o necessário
Nem tudo o que é novo é interessante. Uma geração inteira cresceu habituada à internet e agora não busca apenas a novidade, mas sim o que é útil de verdade para facilitar a vida. Aplicativos trazem o que é necessário, e de fontes confiáveis, sem exigir que você filtre milhares de informações inúteis.

3 – Sai o flexível, entra o veloz
A web é mais flexível, mas o acesso à internet móvel precisa ser mais rápido e objetivo. Com as telas pequenas e o tempo mais curto para navegação, o conteúdo oferecido pelos aplicativos é mais atraente do que os sites, mesmo tendo menos variedade. O mais rápido vence o mais amplo.

4 – O Google dominou a web. Fuja para as montanhas
Quem está se dando bem em tempos de domínio do Google? Redes sociais como o Facebook, que são fechadas, lugares por onde o sistema de busca não passa. É um novo ambiente com nova plataforma e novo público filtrado (e cadastrado) para os anunciantes. Os aplicativos específicos fazem a mesma coisa.

5 – O SEO matou a publicidade
As empresas descobriram como se dar bem no Google, aparecendo nos primeiros resultados do sistema de busca. Os cliques são direcionados, praticamente anulando a fidelidade de um usuário aos sites e fazendo com que a publicidade deles seja ineficiente. Clicar num item aleatório da busca dificilmente fará um usuário se interessar por um anúncio na página.

6 – É mais fácil ganhar dinheiro com aplicativos
O modelo iPhone se adapta ao usuário – do conteúdo ao tamanho da tela. Assim, fica mais fácil fazer publicidade dirigida em formatos mais inovadores e efetivos do que banners e adWords.

7 – A Apple domina tudo
Além de mandar em áreas do mundo offline, como a Pixar, a Apple trouxe com os iPhones e iPads o domínio sobre a internet fora da web. O hardware é dela, o software é dela e as aplicações devem passar pelo seu crivo para chegar ao usuário. É como ir a um cinema da Apple para ver um filme da Apple. E a pipoca tem que ser autorizada por ela. Viu como dá para existir sem a web?

Fonte: InfoOnline.com.br

No responses yet

Deixe uma resposta